O Julgamento Eichmann em Perspectiva Transmedial: Figuras da Memória, do Direito e da Justiça em Literatura e Cinema

Workshop Internacional em Buenos Aires (finales de março de 2022; híbrido) 

O julgamento Eichmann foi um evento incisivo para a história dos direitos humanos, bem como para a memória da Shoa. Seguindo a discussão dos processos e dinâmicas de recepção nas culturas da lembrança em Israel, Alemanha, Argentina e Brasil em nossa serie de palestras digitais, a oficina tem como objetivo examinar as diversas narrativas cinematográficas e literárias do caso Eichmann.

Tanto a fase do esconderijo de Eichmann na Argentina até seu sequestro pelos serviços secretos israelenses – “Eichmann antes de Jerusalém” (B. Stangneth) – como os eventos em torno do julgamento – “Eichmann em Jerusalém” (H. Arendt) – serão analisados. Será discutido como se transformou a representação de diferentes figuras (perpetradores, testemunhas, “investigadores”, observadores).

Como os atores centrais (perpetradores, testemunhas, “investigadores”, promotores e observadores do Procurador Geral de Hesse Fritz Bauer, aos agentes e atores da Mossad no seqüestro, ao pessoal jurídico que desempenhou um papel central no julgamento) são representados e avaliados nos diferentes contextos de memória?

Como se conjugam os discursos jurídicos-forenses, éticos e estéticos? Quais documentos, textos, imagens tiveram um significado cultural central ou uma reavaliação? Qual é a função dos diferentes gêneros e formatos e seus procedimentos autobiográficos, testemunhais e até mesmo metaficionais? Que figuras e imagens surgiram tanto transmedialmente como transnacionalmente? Como os modos de representação ficcional e factual estão relacionados? Que rupturas, mudanças, conflitos e diferenças podem ser observadas com relação aos discursos da memória entre os diferentes, mas também dentro dos espaços nacionais fragmentados da memória e nas respectivas esferas públicas na América do Sul, Israel e Europa?

O workshop, que se concentrará nas representações culturais da memória, será complementado por um painel no qual os atores da política da memória discutirão questões éticas, estéticas e didáticas da memória.

As contribuições serão documentadas em uma antologia planejada para 2023.

Propostas significativas sobre obras individuais, considerações comparativas ou aspetos abrangentes podem ser submetidas na forma de resumos (aproximadamente 1 página com indicação do idioma de apresentação preferido) por e-mail até 15.12.2021.

A oficina acontecerá de forma híbrida, de modo que apresentações on-line também sejam possíveis. Os idiomas da oficina são espanhol, português, alemão e possivelmente inglês. O domínio de uma das duas línguas românicas é considerado útil para a participação na oficina.

Organização:

Dr. Christian Ernst, leitor do DAAD e professor visitante do Departamento de Letras Modernas da Universidade de São Paulo.

Dr. Patrick Eser, leitor do DAAD e professor visitante da Cátedra libre Walter Benjamin na Universidade de Buenos Aires

Contato

´´